Tudo sobre o Glaucoma

Elglaucoma é uma doença dos olhos, em que existe uma neuropatia óptica, onde o nervo óptico sofre uma lesão ou perde sua funcionalidade, o que resulta em déficit no campo visual. Além disso, a doença é caracterizada pela perda progressiva das fibras nervosas da retina e existem alterações na aparência do nervo óptico. Um dos principais fatores que podem influenciar o aparecimento de glaucoma é a pressão intra-ocular elevada. A maioria das pessoas afetadas não apresentam sintomas nos estágios iniciais da doença. Em geral, notam-se falhas no campo visual e perda da visão, quando aparecem os sintomas, pode significar que a doença está em um ponto avançado de sua evolução. Não é normal que exista dor ocular no glaucoma crônico, mas é comum de glaucoma agudo. As causas do aparecimento de glaucoma são a idade, aparece com mais frequência em pessoas idosas, causas genéticas, doenças como a diabetes ou hipertensão, em pessoas que consumiram esteróides, uma má alimentação, que provoca o aparecimento de radicais livres Os sintomas mais característicos que produz o glaucoma são: perda de visão lateral ou periférica, dor ocular, visão de moscas volantes ou cintilantes, dor de cabeça, visão embaçada, visão de halos tipo arco-íris, náuseas e vômitos, e cegueira. Estes sintomas costumam acontecer no glaucoma de ângulo fechado, onde existe uma diminuição do ângulo iridocorneal. No glaucoma de ângulo aberto, o ângulo iridocorneal é normal. A evolução é lenta, não há sintomas aparentes, mas se deteriora progressivamente a visão, em que são utilizados medicamentos que diminuem a pressão intra-ocular, são colírios aplicados diretamente no olho, como: -Mióticos –pilocarpina-, epinefrina ou medicamentos derivados deles, que têm como função melhorar o fluxo de líquido entre as câmeras do olho. –Beta-bloqueadores e inibidores da anidrase carbónica, que diminuem a quantidade de líquido produzido. –Medicamentos via oral, inibidores da anidrase carbónica, para que a diminuição do líquido seja mais constante. -Glaucoma de ângulo fechado, o quadro é mais aguda e precisa de um tratamento imediato para diminuir a tensão ocular. São utilizadas soluções hiperosmóticas em injeção ou pela boca, para controlar a tensão de algumas horas, mas depois se deve passar a outros tratamentos de manutenção -mióticos, beta-bloqueadores e inibidores da anidrase carbónica-. Os casos rebeldes devem ser tratados com laser e na iridotomía se extrai parte da íris e serve para tratar casos de glaucoma de ângulo fechado. Fonte Imagens ThinkStock.