O adesivo contraceptivo

No mercado há cada vez mais modalidades de métodos contraceptivos que tentam melhorar a vida das mulheres. Um deles é o patch contraceptivo. Este último é um método de uso semanal que se aplica diretamente sobre a pele limpa e seca. Tem uma eficácia de 99% e, ao contrário, com a pílula, a sua eficácia não diminui em caso de vómitos ou diarreia. O aconselhável é que você visita ao médico antes de entrar neste tipo de tratamento, ou usar qualquer outro método contraceptivo. Você deve usá-lo pela primeira vez o 1º dia da menstruação. Se você fizer isso, alguns dias mais tarde, você terá que usar algum método contraceptivo de barreira, como o preservativo) durante uma semana, para evitar a gravidez. O patch anticonceptivoactúa liberando através da pele, um fluxo contínuo de progesterona e estrogênio, as mesmas hormonas que com a pílula. Este tipo de correção a fazer efeito durante uma semana completa, assim que devemos usar três ao longo do mês. Há que se colocar um por semana e sempre no mesmo dia. A quarta semana será dedicada ao descanso, momento em que não se aplica o patch e tem que aparecer a menstruação. Após essa semana de folga aplica-se o mesmo processo, porque estamos em um novo ciclo. Ou seja, três semanas patch, uma semana sem ele. Você deve saber que, como muitos outros métodos contraceptivos, o patch não te protege contra a AIDS ou contra as DST. Por isso, sempre que você a ter uma relação sexual que considere de risco, você tem que usar outros meios para prevenir este tipo de contágio. Já temos dito que você deve consultar o seu médico antes de começar a usar um tratamento contraceptivo, especialmente se você sofre de algum problema circulatório, hepático, você é diabética, fumante ou sofre de problemas de obesidade. Em Portugal, o patch é comercializado sob o nome de EVRA, e apresenta-se em embalagens mensais(3 patches) ou trimestral (9 patches). Fonte Imagem