Infecção por Helicobacter pylori

O Helicobacter pylori é uma bactéria que vive no estômago e pode vir a danificá-lo, seja pelas enzimas e características citotóxicos que produz, ou, ainda, por uma série de processos imunológicos que têm como objetivos lutar contra esta bactéria. Pode sobreviver em um meio tão ácido como o estômago, graças a que produz amoníaco. Esta bactéria com forma de espiral e celular é a principal causa de úlceras do estômago e do duodeno, bem como de alguns tipos de gastritisy sangramento alto em crianças. A bactéria se adquire na infância e pode viver por muitos anos no interior do estômago.É muito importante a sua detecção e tratamento, já que pode chegar a provocar até mesmo câncer. Há que prestar o interesse devido à infecção por Helicobacter pylori, já que, embora em muitos casos não causar nenhum sintoma, tende a gerar muitos problemas de saúde, se não for tratada adequadamente. Além disso, é muito resistente aos fármacos. Os principais fatores de risco de infecção por esta bactéria são alimentos frescos mal conservados, a água, a pouca idade, compartilhar utensílios pessoais, os episódios de diarreia habituais e a superlotação. A prevenção mais adequada frente a esses fatores é manter uma higiene adequada, não consumir água e vegetais crus, bem como evitar compartilhar utensílios de uso pessoal. Estudos recentes mostram que o chá verde pode prevenir a inflamação habitual que origina o H. pylori. Alguns dos principais sintomas que causa a infecção por esta bactéria são os seguintes: – Dor de estômago quando está vazio, especialmente à noite. – Dor abdominal que dá início antes da hora depois de comer é o mais comum. – Náuseas leves ou moderadas. – Sensação de muita fome pouco depois de comer. – Às vezes pode causar perda de peso e apetite, azia e distensão abdominal. – Diarreia crónica. – Anemia ferropénica que não é originada por uma outra causa. – Em crianças, pode causar atrasos no peso e na altura, bem como atraso pubertal em meninas. Se houver algum destes sintomas, há que ir sempre ao médico para que possa fazer o diagnóstico e definir o tratamento adequado. O diagnóstico pode basear-se em caso de suspeita de úlcera ou inflamação, e deve ser confirmado com exames de sangue e fezes, e provas do fôlego. Em alguns casos, pode exigir a realização de uma biópsia, em que se mede a urease ativa (teste rápido da urease). A eliminação da bactéria H. pylori não é simples, já que é muito resistente. Por isso, na maioria dos casos, é necessária a utilização de dois ou mais antibióticos, ao mesmo tempo, para combatê-la durante 1 ou 2 semanas. Além disso, costuma-se utilizar medicamentos para bloquear o ácido gástrico (omeprazol), permitindo uma redução da inflamação, o que gera a bactéria.