Doenças da pele Psoríase

A pele é o órgão de maior tamanho do corpo, com seus quase 2 metros quadrados, uma espessura que varia entre 0,5 mm e 4 mm e um peso de cerca de 5 kg É também a primeira linha de defesas de nosso organismo, agindo como uma barreira protetora do organismo contra agentes externos. Além disso, nos permite medir a temperatura, suas mudanças indicam algum tipo de alteração nela, ou dentro do organismo, a presença de doenças ou de diferentes patologias. Como qualquer órgão, é suscetível de sofrer de várias doenças, como a dermatite, seborréia ou, de que hoje vamos falar, a psoríase. Por isso, é sempre importante cuidar da pele, levando uma vida saudável, com uma dieta variada e equilibrada, contribuindo suficientes nutrientes e vitaminas ao organismo, bem como evitando fatores de risco como o tabaco, picadas de alguns animais, feridas, cortes... A psoríase é uma doença inflamatória e crônica da pele que produz lesões em forma de escamas espessas e inflamação. Não é contagiosa e apresenta uma grande variedade de manifestações na pele e uma evolução muito diferente entre os pacientes. Sofrem de entre 1 a 3% da população e pode aparecer em qualquer idade, mas são detectados mais casos entre os 15 e 35 anos. Afeta igualmente ambos os sexos. Costuma associar-Se à artrite e há uma idéia equivocada de que está relacionada com o câncer de pele. Nenhum estudo demonstrou relação alguma. A psoriaris parece ter um alto componente hereditária, e ocorre quando o sistema imunitário se confunde células saudáveis por substâncias perigosas, causando uma resposta inflamatória. No entanto, há uma série de fatores que podem desencadear um ataque de psoríase: – Lesões na pele causadas por queimaduras, cortaduras, picadas... – Estresse e ansiedade – Pouca luz solar – Infecções virais ou bacterianas – Ar e pele seca – O consumo excessivo de álcool – O excesso de luz solar – Traumatismos – Determinados medicamentos O médico poderá fazer o diagnóstico, na maioria dos casos, com uma boa história clínica. Em poucas ocasiões em que se requer uma biópsia cutânea. Há que ter em conta que, por ser uma doença crônica, o tratamento visa o controle dos sintomas e a prevenção de infecções. Há que ter especial cuidado com as pessoas que têm um sistema imunitário enfraquecido, já que a psoríase pode ser bastante grave. O tratamento é sempre individualizado, dependendo da forma como se apresente a doença e a gravidade dos sintomas. Também há que ter em conta o ambiente e as circunstâncias de cada paciente, para estabelecer um tratamento o mais eficaz possível. A maioria destes tratamentos são aplicados diretamente sobre a pele e/ou o couro cabeludo: Cremes com cortisona. Cremes ou pomadas com alcatrão de hulha ou antralina. Cremes para remover a descamação. Shampoos para caspa. Hidratantes. Medicamentos, tipo retionoides, que contenham vitamina D, vitamina A (retinóides). Em caso de infecção, o médico pode receitar também antibióticos. É também aconselhável realizar uma série de medidas que podem nos ajudar a reduzir os sintomas, como casas de farinha de aveia, realizar técnicas de relaxamento e respiração que reduzam o estresse, e também a luz solar com cautela. A fototerapia também tem demonstrado a sua eficácia em muitos pacientes, reduzindo os sintomas. Há que ter em conta que, embora a psoríase é para toda a vida, com um correto tratamento e tomando as precauções necessárias, pode-se ter bastante controlada. Além disso, é habitual que esta doença desapareça por longos períodos e torna a reaparecer.