Comer menos pode retardar o envelhecimento

A alimentação é essencial ao longo de nossas vidas. Por isso, é importante ter uma dieta rica e equilibrada, que nos forneça todos os nutrientes necessários para manter um bom estado de saúde. Do mesmo modo, o consumo excessivo de calorias, assim como dietas ricas em gorduras e açúcares, têm efeitos muito negativos sobre a saúde, causando problemas como o excesso de peso e favorecendo o aparecimento de doenças a longo prazo. Além disso, agora soube que comer menos pode retardar o processo de envelhecimento. De acordo com um estudo realizado pelo Instituto de Patologia da Universidade Católica do Sagrado Coração de Roma, a redução moderada de calorias que ingerimos diariamente, não só teria efeitos positivos sobre a saúde, mas também o que atrasaria o envelhecimento e ajudar a prevenir o aparecimento de doenças próprias da velhice. O trabalho, que foi publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences, determina que a chave se encontraria em uma molécula chamada CREB1. Seria a primeira vez que se identifica um importante indicador dos efeitos da dieta sobre o cérebro. Esta descoberta abre a porta a futuras investigações que tenham como finalidade desenvolver terapias e medicamentos para manter nosso cérebro jovem por mais tempo e retardar o processo de envelhecimento. A molécula CREB1 estaria presente em neurônios e outras células do corpo, e se poriam em funcionamento quando o organismo é submetido à uma restrição no nível de calorias que lhe fornece (o estudo limitou 25-30% das necessidades diárias). Verificou-Se que, ao aumentar a actividade, desta molécula põe em marcha diferentes moléculas, que estão relacionadas com a longevidade, como podem ser as sirtuin. Os pesquisadores fizeram testes com ratos. Comprovaram que a eliminação desta molécula do organismo, ainda, reduzindo as calorias que lhes forneciam os roedores, o processo de envelhecimento não sofria nenhuma variação. Apesar desta grande descoberta, há que ter em conta que é apenas uma variável de múltiplas que fariam parte do mistério do envelhecimento. Do mesmo modo, há que ter em conta que uma ingestão restrita de calorias tem consequências negativas sobre a saúde. Por isso, há que ser cautelosos e esperar que este estudo permita no futuro desenvolver medicamentos para retardar o processo de envelhecimento, bem como as doenças típicas que lhe acompanham.