Cientistas espanhóis desenvolveram uma vacina contra a aids

A vacina preventiva contra o vírus da aids do CSIC pode ser uma das melhores notícias relativas à saúde do ano e um raio de esperança para milhões de pessoas afetadas pela aids em todo o mundo. Os resultados do estudo, que foram apresentados em coletiva de imprensa na semana passada, os responsáveis pela pesquisa são excelentes, já que se conseguiu uma resposta imune para 90% no 3o os voluntários santos que se ofereceram para esta fase I do estudo clínico. 85% continuava mantendo esta imunidade contra o vírus do HIV, um ano depois de receber a vacina. O composto MVA-B, que luta contra o subtipo B do vírus da Aids tem obtido os melhores resultados obtidos até a data em que estes tipos de vacinas para prevenir a infecção. Em concreto, seria até 6 vezes mais potente do que o resto de vacinas e seus efeitos permaneceram durante um ano. Graças ao MVA-B, o sistema imunológico se fortalece e pode lidar com partículas do vírus e células de forma prolongada. Outra das vantagens da vacina é que apenas apresenta efeitos secundários, pelo que se pode continuar a aplicar com total segurança. Apesar de estes resultados tão esperançosos, os responsáveis pela investigação pedem prudência, já que até agora só foi testado em 30 pessoas. Testado previamente em ratos e macacos, os bons resultados obtidos motivaram aplicar a vacunadel aids em pessoas saudáveis. Além disso, de sua potência preventiva, a equipe do Gregorio Marañón de Madri e o Clínic de Barcelona quer verificar a eficácia da vacina entre pessoas já infectadas, por que estaríamos falando de tentar alcançar uma cura para a aids. Além disso, permitiria substituir os tratamentos anti-retrovirais, que são para a vida e geram elevados custos, algo insustentável em continentes como a África. Uma esperançosa notícia para o continente africano, que é de longo o que mais é afetado pelo vírus do HIV. O nome deste protótipo de vacina vem dado pelo vírus Vaccinia Modificado Ankara (MVA), que foram introduzidas quatro genes do HIV (Gag, Pol, Nef e Env) em sua seqüência genética. Embora ainda se encontre na fase I do teste (que testam a toxicidade do composto e sua eficácia), os resultados obtidos permite ter bastante esperança que alcance as fases III e IV, em que se examina a posologia do medicamento. Poderíamos estar perante a vacina mais eficaz e poderoso para prevenir e curar a aids. https://www.youtube.com/watch?v=5k5TevcDPdA Link: COIMBRA